::    ::    Home Vivos! a História  | FALE com o Vivos! | Mapa do Site    


       
       
 
        
 
   ::  A Fé Cristã !
   ::  A Jornada 40 anos
   ::  
A Lei - Torah
   ::  Adolescentes de Deus
   ::  Adorar
   ::  Adorar em Espírito e Verdade
   ::  
Adoração
   ::  
Adoração a Deus
   ::  
Amor Fraternal
   ::  
Andando Com Deus
   ::  
Andando No Espírito Santo
   ::  Angeolologia
   ::  
Anjos, a doutrina
   ::  Anjos, Existe?
   ::  
Anjos, Querubins e Serafins
   ::  Antropologia
   ::  
As Dez Pragas
   ::  Batismo
   :: 
Casamentos nos dias bíblicos 
   ::  Casamentos nos dias bíblicos II
   ::  Catecismo Católico: É Bíblico?
   ::  Catolicismo: O Catecismo
   ::  Catolicismo: Origem da Igreja
   ::  Catolicismo: Sua heresias
   ::  
Céu, Inferno! Purgatório?
   ::  Como preparar mensagens
   ::  Crente e o Mundo
   ::  Criação / Criacionismo
   ::  Decálogo - Os 10 mandamentos
   ::  Demônios & Possessões
   ::  
Demônios, quem são ?
   ::  
Deveres dos Pais
   ::  Diáconos & Presbíteros
   ::  
Dízimo é Bíblico ?
   ::  Dízimos e Ofertas
   ::  Dízimos: Provai-me  nisto!
   ::  Domínio da Língua
   ::  Dom de Discernimento
   ::  Dons do Espírito Santo
   ::  Eclesiologia
   ::  Ensinamentos de Jesus Cristo
   ::  
Escrituras Sagradas
   ::  Filhos: Herança do Senhor
   ::  Heresias, o que é?
   ::  Humildade: Qualidade do servo
   ::  Idolatria - Adoração à imagens
   ::  Idolatria & Mariolatria
   ::  Igreja Católica e o Catecismo
   ::  Igreja: Ordenanças Básicas
   ::  Igreja: Visão Bíblica
   ::  Igreja: Visão Bíblica II
   ::  Inferno é Real!
   ::  
Jesus, Homem Fisicamente
   ::  Jovens do Senhor
   ::  Líder, segundo a Bíblia
   ::  
Louvor  I
   ::  
Louvor II
   ::  Louvor a Deus
   ::  Mariolatria: Adoração a Maria
   ::  Milagres e Sinais na Bíblia
   ::  Milagres relatados na Bíblia
   ::  Moralidade Sexual
   ::  Morte - Ensino Bíblico
   ::  Música - Ensino Bíblico
   :: 
Nomes e Títulos do Senhor Jesus
   ::  
Nomes Atribuídos aos Servos
   ::
 O Adversário
   ::  
O Espírito Santo
   ::  
O Pecado
   ::  Obras da Carne & Frutos do E.S.
   ::  Obras da Carne - Gálatas 5.19
   ::  Oração Eficaz
   ::  Paciência: Aspectos positivos
   ::  Papas: Pedro foi o Primeiro?
   ::  Pesos & Medidas
   ::  
Profecias Messiânica
   ::  
Profetas & profecias
   ::  
Profeta na Bíblia
   ::  Providência Divina
   ::  
Qualidades de um Líder
   ::  Ressurreição
   ::  Riqueza e Pobreza
   ::  
Sacerdote; Relato Bíblico
   :: 
Salvação: Você precisa agora!
   ::  Santa Ceia

   ::  Santa Ceia II
   ::  Santidade
   ::  
Satanás   I
   ::  
Satanás  II
   ::  
Satanás III
   ::  Satanás: origem, obra e destino
   ::  
Temer a Deus, Medo ? 
   ::  Temor ao Senhor
   ::  Urim e Tumim
   ::  Usos & Costumes
   ::  
Valor do Homem
   ::  
Volta de Cristo
 
 
 

 

 

 Obras da Carne & Frutos do Espírito


“Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: caridade (amor), gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra essas coisas não há lei.” Gl 5.19-23

Nenhum trecho da Bíblia apresenta um mais nítido contraste entre o modo de vida do crente cheio do Espírito e aquele controlado pela natureza humana pecaminosa do que 5.16-26. Paulo não somente examina a diferença geral do modo de vida desses dois tipos de crentes, ao enfatizar que o Espírito e a carne estão em conflito entre si, mas também inclui uma lista específica tanto das obras da carne, como do fruto do Espírito.

OBRAS DA CARNE.

“Carne” (gr. sarx) é a natureza pecaminosa com seus desejos corruptos, a qual continua no cristão após a sua conversão, sendo seu inimigo mortal (Rm 8.6-8,13; Gl 5.17,21). Aqueles que praticam as obras da carne não poderão herdar o reino de Deus (5.21). Por isso, essa natureza carnal pecaminosa precisa ser resistida e mortificada numa guerra espiritual contínua, que o crente trava através do poder do Espírito Santo (Rm 8.4-14; ver Gl 5.17).

As obras da carne (5.19-21) incluem:

(1) “Prostituição” (gr. pornéia), i.e., imoralidade sexual de todas as formas. Isto inclui, também, gostar de quadros, filmes ou publicações pornográficos (cf. Mt 5.32; 19.9; At 15.20,29; 21.25; 1Co 5.1). Os termos moichéia e pornéia são traduzidos por um só em português: prostituição.

(2) “Impureza” (gr. akatharsia), i.e., pecados sexuais, atos pecaminosos e vícios, inclusive maus pensamentos e desejos do coração (Ef 5.3; Cl 3.5).

(3) “Lascívia” (gr. aselgeia), i.e., sensualidade. É a pessoa seguir suas próprias paixões e maus desejos a ponto de perder a vergonha e a decência (2Co 12.21).

(4) “Idolatria” (gr. eidololatria), i.e., a adoração de espíritos, pessoas ou ídolos, e também a confiança numa pessoa, instituição ou objeto como se tivesse autoridade igual ou maior que Deus e sua Palavra (Cl 3.5).

(5) “Feitiçarias” (gr. pharmakeia), i.e., espiritismo, magia negra, adoração de demônios e o uso de drogas e outros materiais, na prática da feitiçaria (Êx 7.11,22; 8.18; Ap 9.21; 18.23).

(6) “Inimizades” (gr. echthra), i.e., intenções e ações fortemente hostis; antipatia e inimizade extremas.

(7) “Porfias” (gr. eris), i.e., brigas, oposição, luta por superioridade (Rm 1.29; 1Co 1.11; 3.3).

(8) “Emulações” (gr. zelos), i.e., ressentimento, inveja amarga do sucesso dos outros (Rm 13.13; 1Co 3.3).

(9) “Iras” (gr. thumos), i.e., ira ou fúria explosiva que irrompe através de palavras e ações violentas (Cl 3.8).

(10) “Pelejas” (gr. eritheia), i.e., ambição egoísta e a cobiça do poder (2Co 12.20; Fp 1.16,17).

(11) “Dissensões” (gr. dichostasia), i.e., introduzir ensinos cismáticos na congregação sem qualquer respaldo na Palavra de Deus (Rm 16.17).

(12) “Heresias” (gr. hairesis), i.e., grupos divididos dentro da congregação, formando conluios egoístas que destroem a unidade da igreja (1Co 11.19).

(13) “Invejas” (gr. fthonos), i.e., antipatia ressentida contra outra pessoa que possui algo que não temos e queremos.

(14) “Homicídios” (gr. phonos), i.e., matar o próximo por perversidade. A tradução do termo phonos na Bíblia de Almeida está embutida na tradução de methe, a seguir, por tratar-se de práticas conexas.

(15) “Bebedices” (gr. methe), i.e., descontrole das faculdades físicas e mentais por meio de bebida embriagante.
 
(16) “Glutonarias” (gr. komos), i.e., diversões, festas com comida e bebida de modo extravagante e desenfreado, envolvendo drogas, sexo e coisas semelhantes.
 
As palavras finais de Paulo sobre as obras da carne são severas e enérgicas: quem se diz crente em Jesus e participa dessas atividades iníquas exclui-se do
reino de Deus, i.e., não terá salvação (5.21; ver 1Co 6.9).

O FRUTO DO ESPÍRITO.

Em contraste com as obras da carne, temos o modo de viver íntegro e honesto que a Bíblia chama “o fruto do Espírito”. Esta maneira de viver se realiza no crente à medida que ele permite que o Espírito dirija e influencie sua vida de tal maneira que ele (o crente) subjugue o poder do pecado, especialmente as obras da carne, e ande em comunhão com Deus (ver Rm 8.5-14 nota; 8.14 nota; cf. 2Co 6.6; Ef 4.2,3; 5.9; Cl 3.12-15; 2Pe 1.4-9).

O fruto do Espírito inclui:

(1) “Caridade” (amor) (gr. agape), i.e., o interesse e a busca do bem maior de outra pessoa sem nada querer em troca (Rm 5.5; 1Co 13; Ef 5.2; Cl 3.14).

(2) “Gozo” (gr. chara), i.e., a sensação de alegria baseada no amor, na graça, nas bênçãos, nas promessas e na presença de Deus, bênçãos estas que pertencem àqueles que crêem em Cristo (Sl 119.16; 2Co 6.10; 12.9; 1Pe 1.8; ver Fp 1.14).

(3) “Paz” (gr. eirene), i.e., a quietude de coração e mente, baseada na convicção de que tudo vai bem entre o crente e seu Pai celestial (Rm 15.33; Fp 4.7; 1Ts 5.23; Hb 13.20).

(4) “Longanimidade” (gr. makrothumia), i.e., perseverança, paciência, ser tardio para irar-se ou para o desespero (Ef 4.2; 2Tm 3.10; Hb 12.1).

(5) “Benignidade” (gr. chrestotes), i.e., não querer magoar ninguém, nem lhe provocar dor (Ef 4.32; Cl 3.12; 1Pe 2.3).

(6) “Bondade” (gr. agathosune), i.e., zelo pela verdade e pela retidão, e repulsa ao mal; pode ser expressa em atos de bondade (Lc 7.37-50) ou na repreensão e na correção do mal (Mt 21.12,13).

(7) “Fé” (gr. pistis), i.e., lealdade constante e inabalável a alguém com quem estamos unidos por promessa, compromisso, fidedignidade e honestidade (Mt 23.23; Rm 3.3; 1Tm 6.12; 2Tm 2.2; 4.7; Tt 2.10).

(8) “Mansidão” (gr. prautes), i.e., moderação, associada à força e à coragem; descreve alguém que pode irar-se com eqüidade quando for necessário, e também humildemente submeter-se quando for preciso (2Tm 2.25; 1Pe 3.15; para a mansidão de Jesus, cf. Mt 11.29 com 23; Mc 3.5; a de Paulo, cf. 2Co 10.1 com 10.4-6; Gl 1.9; a de Moisés, cf. Nm 12.3 com Êx 32.19,20).

(9) “Temperança” (gr. egkrateia), i.e., o controle ou domínio sobre nossos próprios desejos e paixões, inclusive a fidelidade aos votos conjugais; também a pureza (1Co 7.9; Tt 1.8; 2.5).

O ensino final de Paulo sobre o fruto do Espírito é que não há qualquer restrição quanto ao modo de viver aqui indicado. O crente pode — e realmente deve — praticar essas virtudes continuamente. Nunca haverá uma lei que lhes impeça de viver segundo os princípios aqui descritos.

Fonte: BEP
 

 

 
       
         
     

 
     
  Busca Vivos!
Pesquise dentro do site Vivos!
 
 
       
         
       
       
       
       

  Brasil Espírito Santo   "Os vivos, somente os vivos, esses Te louvam como hoje eu o faço"  Is 38.19  

     
     

Translate / Language